Abdômen

Abdomen (Abdominoplastia)

Abdominoplastia ou Dermolipectomia Abdominal (cirurgia para tratamento do abdome)

abdominoplastia 1tb-abdomem-1

O que é Abdominoplastia?

A região abdominal traduz inúmeros aspectos das condições da vida de uma pessoa, dentre elas hábitos alimentares, níveis de atividade física ou sedentarismo, variações importantes de peso e alterações após as gestações. A abdominoplastia ou dermolipectomia abdominal consiste no tratamento cirúrgico do excesso de pele e gordura subcutânea da região abdominal.

Está indicada nos casos onde houve perda de peso significativa (como após cirurgia de redução de estômago, dietas e variações freqüentes de peso), gestações ou mesmo flacidez decorrente do envelhecimento. Devemos enfatizar que esta cirurgia não se aplica aos casos de gordura visceral (abdome saliente devido ao acúmulo de gordura dentro da cavidade abdominal, entre as vísceras), que pode ser tratado com emagrecimento e mudança dos hábitos de vida. Nos casos de gordura localizada no subcutâneo abdominal, sem excesso de pele nem flacidez muscular, a lipoaspiração é a cirurgia de escolha. Muitas vezes há situações intermediárias, com pequeno excesso de pele, flacidez moderada e acúmulo de gordura em que cabe ao cirurgião sugerir a melhor opção cirúrgica.

abdominoplastia 1abdominoplastia 1Quais os cuidados pré-operatórios?

O paciente terá todas as orientações por escrito sobre a cirurgia, devendo sempre estar atento ao seu estado geral e comunicar qualquer alteração, como uma gripe, dor de garganta, ardor ao urinar, etc. Nesse caso, o paciente será avaliado e a cirurgia poderá ser adiada para sua própria segurança. Deve-se vir acompanhado para a cirurgia, prestar atenção ao jejum (caso este seja solicitado) e evitar o uso de brincos, anéis, piercings, esmaltes coloridos nas unhas, etc. O paciente será submetido uma série de exames pré-operatórios (laboratoriais, Rx de tórax e eletrocardiograma) e por avaliações clínicas a depender de cada caso.

O uso de algumas medicações como ácido acetil salicílico, ginko biloba, bufedil, vitamina E, anticoagulantes e fórmulas para emagrecer deverão ser suspensas pelo menos 15 dias antes da cirurgia. Qualquer medicação usada deve ser informada ao médico, pois várias delas podem causar efeitos colaterais que obrigam à suspensão da cirurgia. Da mesma forma o tabagismo é altamente indesejável. Serão feitas fotografias pré-operatórias para posterior comparação.

Qual o tipo de anestesia?

Desde que o paciente seja avaliado corretamente, os procedimentos anestésicos atuais oferecem baixíssimos riscos de problemas. De acordo com as possibilidades clínicas e o desejo do paciente, preferimos usar anestesia geral ou bloqueio espinhal (raquianestesia ou peridural).

A cirurgia

A abdominoplastia é realizada através de uma incisão horizontal acima do púbis (ao nível de uma cicatriz de cesárea, só que prolongada lateralmente). É então realizada uma aproximação dos músculos retos abdominais que estavam afastados (plicatura da diástese dos retos), visando corrigir alterações decorrentes da gestação e reconstituindo o contorno da cintura. Depois, é retirado o excesso de pele e gordura e esticado o abdome remanescente. Em alguns casos é necessário realizar lipoaspiração para melhorar o contorno corporal. O ato cirúrgico tem duração média de 3 horas, que pode aumentar caso seja associada lipoaspiração ou outros procedimentos. O período de internação varia de 1 a 3 dias, e o paciente sai do centro cirúrgico com drenos, curativos e cinta elástica, que podem permanecer mesmo após a alta, sendo retirados na clínica.

Cicatrizes

A cicatriz resultante de uma dermolipectomia localiza-se horizontalmente logo acima da implantação dos pelos pubianos, prolongando-se lateralmente em maior ou menor extensão, dependendo do volume do abdome a ser corrigido. Esta cicatriz é planejada para ficar disfarçada sob as roupas íntimas, e passará por vários períodos de evolução. O seu próprio umbigo será transplantado e, se necessário, remodelado. Deve-se levar em conta que, circundando o umbigo existirá uma cicatriz que sofrerá a mesma evolução da cicatriz inferior.

Dor

Após uma cirurgia de abdominoplastia o paciente poderá sentir dor ao ficar em postura totalmente ereta (devido à plicatura dos músculos retos), sobretudo na primeira semana. Esse desconforto pode ser amenizado com uma atitude de leve flexão do abdome, tanto para dormir como para andar durante esse período. Somado ao uso da cinta elástica, que proverá uma sensação de maior segurança, as dores são bem controláveis e, caso persistam, podem ser controladas com analgésicos.

Recuperação

Durante as duas primeiras semanas o paciente deverá manter uma posição com o abdome levemente dobrado ao caminhar e dormir na posição deitada de costas com as pernas dobradas e o tórax levemente elevado com a ajuda de travesseiros. Recomenda-se usar a cinta por 1 mês, roupas confortáveis e abertas na frente e evitar exposição solar por 30 dias. Tomar sol pode marcar permanentemente a cicatriz recente (vermelha) e deverá ser evitado por completo no início, sendo liberado gradualmente e com proteção adequada de acordo com o clareamento (amadurecimento) da cicatriz. Após a cirurgia, a paciente deverá tomar o antibiótico indicado, em geral por 7 dias, além de um antiinflamatório por 3 dias e um analgésico apenas quando sentir dores. O primeiro retorno será após 4 dias da cirurgia e, depois, semanalmente para troca de curativos e acompanhamento. Ao longo do 1º mês a paciente deve voltar a realizar as atividades cotidianas, como dirigir (ao redor dos 20 dias), caminhar, etc. Exercícios gerais poderão ser liberados após 40 dias e exercícios localizados no abdome após 60 dias. As dermolipectomias geralmente não apresentam dor intensa e na sua ocorrência poderá ser controlada por analgésicos. A retirada dos pontos externos, quando existentes, poderá ser iniciada em torno do 8o. dia, podendo ser feita de maneira seletiva, nos dias que se seguem e a retirada do dreno, quando for utilizado, dependerá da diminuição do débito.

Resultado Final

Nos primeiros meses, o abdome apresenta uma insensibilidade relativa, além de estar sujeito a períodos de “inchaço”, que deverão regredir espontaneamente. Após esta fase, o abdome poderá ficar com aspecto de “esticado” ou “plano”. Com o decorrer dos meses, tendo-se iniciado os exercícios, vai-se gradativamente atingindo o resultado definitivo. Não se deve considerar como definitivo qualquer resultado antes de 6 meses pós-operatórios.