Mama (Mamoplastia Redutora)

O que é Mamoplastia Redutora?

A mamoplastia redutora baseia-se na melhoria da forma das mamas, reduzindo-a e suspendendo-a para uma posição esteticamente agradável. Essa cirurgia está plenamente indicada para mamas grandes e flácidas, muitas vezes devido a amamentação, variações de peso ou constituição da paciente. O objetivo é aliviar o peso das mamas (sentido nos ombros com marcas do sutien), e se conseguir uma harmonia entre o tórax, o peso e a altura da paciente.

Quais os cuidados pré-operatórios?

O paciente terá todas as orientações por escrito sobre a cirurgia, devendo sempre estar atento ao seu estado geral e comunicar qualquer alteração, como uma gripe, dor de garganta, ardor ao urinar, etc. Nesse caso, o paciente será avaliado e a cirurgia poderá ser adiada para sua própria segurança. Deve-se vir acompanhado para a cirurgia, prestar atenção ao jejum (caso este seja solicitado) e evitar o uso de brincos, anéis, piercings, esmaltes coloridos nas unhas, etc. O paciente será submetido uma série de exames pré-operatórios (laboratoriais, Rx de tórax e eletrocardiograma) e por avaliações clínicas a depender de cada caso. O uso de algumas medicações como ácido acetil salicílico, ginko biloba ,bufedil, vitamina E , anticoagulantes e fórmulas para emagrecer deverão ser suspensas pelo menos 15 dias antes da cirurgia . Qualquer medicação usada deve ser informada ao médico, pois várias delas podem causar efeitos colaterais que obrigam à suspensão da cirurgia. Da mesma forma o tabagismo é altamente indesejável. Serão feitas fotografias pré-operatórias para posterior comparação.

Qual o tipo de anestesia?

Desde que o paciente seja avaliado corretamente, os procedimentos anestésicos atuais oferecem baixíssimos riscos de problemas. De acordo com as possibilidades clínicas e o desejo da paciente, preferimos usar anestesia geral associada ou não com anestesia peridural (feita na coluna).

A cirurgia

São muitas as técnicas para se fazer uma mamoplastia redutora, e cada uma delas deve ser selecionada considerando-se o tamanho da mama, a idade da paciente e o formato desejado, já discutido previamente em consultório com o cirurgião. O procedimento leva de 3 a 5 horas e em geral são deixados pontos externos apenas ao redor da aréola. No restante da cicatriz são usados fios absorvíveis, sem necessidade de retirada.

Cicatrizes

É fato que quanto maior a mama, maior as cicatrizes. Cada mama é única e não é possível se generalizar o tamanho das cicatrizes. Dependendo do caso pode-se conseguir bons resultados com as seguintes cicatrizes:

-Ao redor da aréola (periareolar): tem indicação mais restrita, devendo ser usada em mamas selecionadas pelo tamanho, pela consistência (gordurosa ou glandular) e pelo desejo da paciente.

- Ao redor da aréola mais uma cicatriz vertical até o sulco da mama (como uma raquete): consegue-se bons resultados com boa qualidade de cicatriz, mas ainda é necessário uma certa seleção de casos para se atingir um resultado estético agradável.

- Ao redor da mama, descendo-se verticalmente até o sulco e extendendo-se horizontalmente como num “T” invertido: essa cicatriz é a mais usada pois permite utilizar técnicas para qualquer tipo de mama, com o máximo de resultado para cada caso. Apesar de sua extensão, a cicatriz madura fica posicionada em locais discretos, compatíveis com o uso de bikinis e sutiens sem ser percebida. A paciente deve avaliar se vale à pena a presença dessa cicatriz em troca de uma mama mais projetada (mais em pé), mais bonita e bem torneada.

Dor

A mamoplastia redutora causa pouca dor e, quando existente, é perfeitamente controlada por analgésicos de farmácia. O movimento dos braços deve ser mais restrito na 1ª semana para não despertar desconforto ou dores. (ver adiante)

Recuperação

O curativo tem a função inicial de proteger a região operada e, mais tarde, ajudará a manter a boa qualidade da cicatriz. Ele será trocado apenas por nossa equipe semanalmente, podendo ser molhado e secado com secador de cabelo ao longo do 1º mês. Os pontos ao redor da aréola são retirados entre 15 e 20 dias da cirurgia. Depois disso outras medidas mais leves poderão ser usadas, como cremes e protetores solares, até que a cicatriz fique mais madura (em geral até 4-6 meses). Será necessário o uso de um sutien cirúrgico durante o 1º mês, que irá proteger as mamas e reduzir a chance de complicações enquanto a paciente se recupera. Após a cirurgia, a paciente deverá tomar o antibiótico indicado, em geral por 7 dias, além de um antiinflamatório por 3 dias e um analgésico apenas quando sentir dores. O primeiro retorno será após 4 dias da cirurgia e, depois, semanalmente para troca de curativos e acompanhamento. Tomar sol pode marcar permanentemente a cicatriz recente (vermelha) e deverá ser evitado por completo no início, sendo liberado gradualmente e com proteção adequada de acordo com o clareamento (amadurecimento) da cicatriz. Ao longo do 1º mês a paciente deve voltar a realizar as atividades cotidianas, como dirigir (ao redor dos 20 dias), caminhar, etc. Exercícios gerais poderão ser liberados após 40 dias e exercícios localizados em braços após 60 dias.

 

Resultado Final

As mamas tomarão um novo formato e volume imediatamente após a cirurgia, mas este não é o resultado final. Toda a mama estará inchada, reduzida e reposicionada numa situação mais alta no tórax. Os mamilos poderão estar olhando discretamente para baixo, efeito proposital, pois ao longo da recuperação, as mamas irão desinchar e perder aquele aspecto túrgido (estufado), e descer até a posição definitiva no tórax, rodando o mamilo para cima. Esse movimento (chamado báscula da mama) se dará gradualmente ao longo da recuperação, e apenas entre 4-6 meses depois da cirurgia é que podemos considerar um resultado final.

 

A cicatriz, inicialmente avermelhada, irá clarear e melhorar num tempo variado, chegando ao seu melhor aspecto em geral após 6 meses.