O sangue do cordão umbilical é uma rica fonte de células-tronco, isto é, células que produzem todos os outros tipos de células do corpo. A primeira fonte de células-tronco foi a medula óssea.

No entanto, a principal limitação para o transplante de medula é a obtenção de um doador compatível na família. Por isso, o sangue do cordão umbilical pode ser uma ótima alternativa, para os pacientes que precisam de um transplante de medula óssea e não encontram doador, técnica esta já em franca utilização.

Várias pesquisas já estão em andamento, buscando utilizar as células do sangue do cordão umbilical para regenerar tecidos, como o músculo cardíaco.

 

Admite-se hoje, que as células do cordão congeladas, mantém-se viáveis por um período de 20 anos. O sangue do cordão umbilical não é guardado para seu próprio doador, já que as pesquisas demonstraram que o transplante de terceiros (transplante alogênico) apresenta melhores resultados.

Estatisticamente, durante os primeiros 20 anos de vida (período em que as células são viáveis), só uma em cada 20 mil pessoas têm a possibilidade de precisar de suas próprias células.

Além disso, a quantidade de células obtidas de um único cordão pode, no máximo, servir para o tratamento de pacientes com até 60Kg.

Através dos bancos públicos de cordão, é possível combinar cordões geneticamente compatíveis, e tratar pacientes de maior peso, trazendo mais vantagens para a sociedade e salvando mais vidas.

A doação do sangue do cordão NÃO oferece riscos nem para a mãe, nem para o seu recém-nascido, já que o sangue coletado, até então, era habitualmente descartado com a placenta.

Algumas exigências devem ser seguidas, devendo a mãe passar por uma entrevista prévia, no banco de cordão do hospital onde dará a luz.

Só podem ser doadoras as mães com menos de 36 anos, e os bebês com idade gestacional maior de 35 semanas, e que pesem mais de 2Kg.

Pela legislação brasileira, entre 60 e 180 dias após o parto, a mãe doadora deverá comparecer ao banco de cordão do hospital onde deu a luz para a realização de novos testes laboratoriais.

Para fazer a doação, basta contactar o banco de cordão umbilical do hospital onde dará a luz.

A doação é gratuita, e sem dúvida, é um gesto altamente altruísta da mãe que dá a luz ao seu filho, e que, doando o sangue do cordão do seu recém-nascido. estará também contribuindo para salvar outras vidas.