Ovários Policísticos

A Síndrome dos ovários policísticos é um conjunto de manifestações de causa hormonal, que acomete mulheres jovens, causando geralmente falta de ovulação. É importante diferenciar o que são cistos ovulares foliculares chamados funcionais, com produção de hormônios femininos normais, menstruações regulares, sem manifestações clínicas, e a Síndrome dos ovários micropolicísticos.

Os ovários são glândulas funcionais, que respondem à produção dos hormônios da hipófise, produzindo estrogênio e progesterona. Estes dois hormônios, agindo na camada interna do útero, o endométrio, fazem com que ele se espesse, e depois menstrue, caso não haja fecundação e gravidez.

Nascemos com cerca de 400.000 folículos nos ovários, e a partir da 1ª menstruação (Menarca) em cada mês, vários folículos entram em erupção, por ação dos hormônios da hipófise, formando pequenos cistos (os chamados cistos funcionais).

Normalmente, só 1 folículo amadurece, podendo chegar a ter 3 a 4 cm, quando então ele se rompe, dando saída ao óvulo, que é captado pela trompa.

No decorrer da vida da mulher, só cerca de 400 - 500 folículos chegam a amadurecer totalmente e a dar saída ao óvulo. Os demais podem formar pequenos cistos que não chegam a emitir óvulos, e são reabsorvidos. Na Síndrome dos ovários micropolicísticos, há geralmente alterações hormonais ovarianos que levam a manifestações clínicas, como obesidade, excesso de pelos (hirsutismo) principalmente no rosto, entre as mamas, abaixo da cicatriz umbilical e amenorréia (falta de menstruação).

Deve-se ter em mente, que há uma gama imensa de variação dos sintomas de ovários micropolicísticos, desde total ausência de sintomas, tendo só o Ultra Som mostrando alteração ovulatórias, até todo o quadro manifesto com falta de menstruação, acne, pelos e obesidade.

O tratamento é instituído, dependendo do que a paciente desejar, ou seja, droga ovulatória, se desejar engravidar, só regularizador do ciclo (se tiver ciclos menstruais irregulares), tratamento dietético e estético (se houverem pelos e obesidade).

É importante o acompanhamento ginecológico logo no início das menstruações, se perceber tendência a aumento exagerado de pelos, muita acne ou aumento de peso.

Outro fator que deve ser levado em conta, é a irregularidade menstrual, devendo sempre ser lembrado, que após a 1ª menstruação (MENARCA) os ciclos menstruais demoram de 1 a 3 anos a se regularizarem. Além deste tempo as menstruações irregulares devem ser pesquisadas.

Como exame, lançamos mão do Ultra Som, que insistimos, podem mostrar aspecto micropolicístico, que só merecem tratamento se houverem manifestações clínicas associadas. Se estas manifestações estiverem presentes, só ou associadas, devemos dosar os hormônio ovarianos, principalmente os hormônios masculinos. Se as dosagens estiverem normais, mas se houver queixas por parte das pacientes (como alterações menstruais, pelos, acne, obesidade) as pacientes devem ser tratadas.

Algumas medidas preventivas podem ser tomadas, para obtermos melhores resultados. Devem ser tomadas medidas de saúde geral, como prática de exercícios físicos, orientação da paciente para tranqüilizar o psiquismo, hábito alimentar saudável (pouco carboidrato, muita proteína, pouca gordura, restrição de calorias).

Para os casos que apresentam irregularidade menstrual, deve-se realizar uma organização do ciclo menstrual, com o uso de pílulas anticoncepcionais de baixa dosagem . Com isto a menstruação será mensal, o que além de proporcionar um maior equilíbrio emocional, terá papel protetor para as moças com vida sexual ativa.

É fundamental o tratamento cosmetológico, quando existir acne e hirsutismo (aumento de pelos).

Para as moças que querem engravidar, não há motivos para receio.

O fato de não ovularem todo mês, Não significa que não irão engravidar, embora possa haver alguma dificuldade neste sentido.

É importante salientar que muitas das moças com ovários micropolicísticos, engravidam espontaneamente, sem nenhum tratamento.

Quando há necessidade, usamos drogas indutoras de ovulação (que provocam a ovulação).

Voltamos a insistir que deve ser evitado o excessivo tratamento do simples achado ultrassonográfico. Síndrome quer dizer : conjunto de sinais e de sintomas.

Deve portanto haver queixas da paciente: irregularidade menstrual, peso excessivo, acne, pelos. Sem estas queixas , ou sem o achado nos exames da paciente de alterações que denotem a presença da “Síndrome dos Ovários Policísticos”, não se deve dar hormônios.

O fato de só o Ultra Som mostrar ovários de aspecto micropolicístico (o que é freqüentemente normal, como se explicou no início deste artigo) não justifica o uso de medicamentos, se não houverem sintomas.

Salientamos que o diagnóstico precoce, e o tratamento conjunto com nutricionista, endocrinologista, dermatologista e ginecologista (às vezes também do psicólogo) é o que melhores resultados trarão. Fazendo a paciente menstruar regularmente, evitamos ciclos com predominância de estrogênios (com pouca progesterona) o que a predisporia a uma maior freqüência de câncer de Mama e de endométrio (camada interna do útero).

Portanto é simples o diagnóstico e o tratamento desta disfunção. Os médicos devem ser criteriosos quanto ao tratamento, e as pacientes devem manter a tranqüilidade, para uma melhor resposta terapêutica.